Ginásio de esportes “Dr. Adelino Baldo”. Um doa maiores desafios dos muitos superados

Desde o início de suas obras, nos anos 70, pelo ex-presidente, Argeu Pires Netto, a construção do Ginásio de Esportes se constituiu num dos maiores desafios da história do clube, principalmente às diretorias subsequentes, que precederam o início desse gigantesco empreendimento. Inquestionavelmente, trata-se da mais demorada realização da história de nossa agremiação, pois desde que foi iniciada até a data da sua inauguração, foram transcorridos quase 19 anos.

Suas enormes dimensões, que importam em cerca de 18 mil metros quadrados, distribuídos em dois pavimentos e suas áreas adjacentes, em seu piso superior abrigam -como um dos únicos ginásios do país- duas quadras de esportes no mesmo nível, secretaria, vestiários, toiletts, bar e diversas salas, além de mais 18 dependências no piso térreo, onde foram instaladas, saunas, consultório médico, ambulatório, secretarias, excelentes vestiários, salas de estar, berçário, cabeleireiros, e ainda, salões específicos, para diversos dos 31 departamentos de modalidades desportivas e culturais, na época, destacadamente praticadas no CULTURA.

Todos esses locais sofreram notável acabamento em gesso e massa corrida, contendo portas, janelas vitrais de ferro. Os salões maiores, que mereceram maior amplitude, onde foram programados para funcionar, os departamentos, de Musculação e halterofilismo, com quase de 370 metros quadrados, de Ginástica, artística, rítmica e desportiva, ocupando área de 186 metros quadrados, o de Karatê -denominado “Capitão José Manuel Rochadel”, contando na data da inauguração com mais de 220 praticantes- e Sauna, possuindo estes dois últimos cerca de 200 metros quadrados cada um, enquanto os salões menores medem, 16 metros na extensão e 6 na largura, dimensões estas, altamente satisfatórias, para as utilizações programadas.

Devido a tudo isso, no início de suas obras, foi apontado como o “maior ginásio de esportes de um clube particular da América Latina”, fato que muito orgulhava seus propugnadores, os então membros da Diretoria Executiva do presidente Argeu e os engenheiros, autores do projeto, da Construtora Moneta Valbert, cujos proprietários são antigos associados.

Depois de anos com suas obras definitivamente paradas, o reinício delas ocorreu a partir de janeiro de 1988, mediante planejamento interposto, que deveria ser cumprido à risca e na íntegra, elaborado pelos membros da Diretoria Executiva, que havia sido eleita, em 21 de setembro de 1987, presidida por Adelino A. Baldo, que contou durante o arrojado empreendimento, com inestimáveis efetivas e diretas colaborações dos insignes prestantes diretores, engenheiros, Cláudio Martinez -Diretor de Obras- Celso Lapa Vettori, Luiz Antonio Leme de Calais e Carlos A. Rochadel, este último, nomeado Diretor Geral de Esportes, cargo que exerceu exemplarmente, com muito dinamismo e capacidade.

Até a data mencionada, inexistia possibilidade de ser utilizada qualquer parte do ginásio, uma vez, que desde maio do ano anterior, havia sido assolado por violento vendaval, perdendo inclusive, quase todo seu teto, obrigando, que a diretoria daquele ano, providenciasse no sentido de que fosse absolutamente interditado e inclusive cercado por tapumes de madeirite, visto a eminente possibilidade de desabamento do que restara da sua cobertura e estruturas metálicas. Ainda em 1988, após intensas obras de reparos, realizadas inclusive aos sábados, domingos e feriados, principalmente na reposição de sua ampla cobertura, os pisos e as quadras do ginásio foram recuperados, e após pintados, paulatina e parcialmente puderam ser entregues aos seus desejosos usuários.

Imediatamente, salonistas, voleibolistas e cestobolistas, promoveram marcantes torneios e campeonatos dessas modalidades, agradecendo ao grande empenho desenvolvido pela operosa Diretoria, pelo tão aguardado momento.

  • LEGENDA: Na semana inaugurativa do Ginásio de Esportes, às 19:00 horas da segunda-feira, a quadra de futebol de salão apresentou em seu primeiro jogo, a equipe infantil do Clube, cujos componentes aparecem na foto com seus respectivos pais: Benuz Braz, Roberto Damato, Nelson Pierossi, Lucílio Viegas, Luís Cecílio, Luiz Gonzaga V. Ribeiro, Francisco Gonçalvez Pereira, Nélio de Souza Mourão, Fernando L. Canto, Hélio Tozzi Jr. e José Eduardo Felício (da esquerda para a direita)